Cimentos Asfálticos de Petróleo

Aplicados em misturas a quente, como pré-misturados, areia-asfalto e concreto asfáltico

A obtenção de asfalto é realizada por meio da destilação de tipos específicos de petróleo, na qual as frações leves (gasolina, diesel e querosene) são retiradas no refino. O resultado desse processo passa a ser chamado cimento asfáltico de petróleo (CAP).

O CAP é um material termossensível utilizado principalmente para aplicação em trabalhos de pavimentação, pois, além de suas propriedades aglutinantes e impermeabilizantes, tem características de flexibilidade e alta resistência à ação da maioria dos ácidos inorgânicos, sais e álcalis. Em suas aplicações, o CAP deve ser homogêneo e estar livre de água. Para que sua utilização seja adequada, recomenda-se o conhecimento prévio da curva de viscosidade/temperatura.

O CAP é aplicado em misturas a quente, como pré-misturados, areia-asfalto e concreto asfáltico. Recomenda-se o uso dos 30/45, 50/70 e 85/100, com teor de asfalto de acordo com o projeto respectivo.

O cimento asfáltico pode ser encontrado em diversos graus de penetração, de acordo com sua consistência. Os CAPs que são produzidos e comercializados no Brasil seguem a classificação por penetração.


Além de colocarmos à disposição os tipos de CAP, oferecemos suporte dos laboratórios e de seus especialistas, que contam com o apoio do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) para encontrar a solução mais adequada para cada caso.

Conheça os tipos de cimento asfáltico de petróleo:

O agente melhorador de adesividade CAP-DOP é um composto orgânico tensoativo derivado do óleo de xisto. Adicionado ao CAP em misturas asfálticas, ele tem a função de conferir a aderência do ligante às superfícies dos agregados, que, por características mineralógicas, tenham deficiência de adesividade, além de permitir uma durabilidade maior da massa asfáltica devido à sua maior resistência à desagregação. O objetivo é garantir melhor desempenho do pavimento.

O CAP-DOP é de fácil miscibilidade no asfalto, não afeta as especificações do ligante e resiste às temperaturas usuais de emprego. O teor a ser adicionado ao CAP deve ser avaliado em laboratório, por meio de ensaio de adesividade para cada tipo de agregado. Entretanto, percentuais de até 0,5% sobre o peso do CAP têm sido adotados na prática corrente.

Os cimentos asfálticos de petróleo (CAP) são úteis nas mais diversas aplicações, mas em situações mais severas apresentam limitações. Nesses casos, torna-se necessário modificar as propriedades dos CAPs pela adição de polímeros. Esses produtos modificados apresentam desempenho superior aos CAPs, tanto em baixas quanto em altas temperaturas.

Para atender a essa demanda, colocamos à disposição a linha CAP FLEX de asfaltos modificados com SBS (estireno-butadieno-estireno) e outros polímeros.

Asfaltos modificados por polímeros

O CAP FLEX é recomendado para as seguintes aplicações:

  • em curvas de pequeno raio ou que são submetidas a grandes esforços;
  • em pavimentos altamente drenantes (redução da aquaplanagem em dias de chuva e redução do ruído produzido pelo atrito dos pneus com o pavimento);
  • em corredores de tráfego muito intenso e cargas elevadas, visando reduzir ou até eliminar as deformações permanentes (trilhas de roda);
  • em pistas especiais (autódromos, aeroportos).

Além de aumentar o índice de serventia do pavimento e, consequentemente, o conforto do usuário, o CAP FLEX conta ainda com as seguintes vantagens:

  • diminuição da suscetibilidade térmica;
  • maior resistência ao envelhecimento;
  • elevação do ponto de amolecimento;
  • diminuição do ponto de ruptura Fraass;
  • maior resistência à deformação permanente.

Só faltava a estrada ser verde

O CAP FLEX leva o nome de ecológico por ser composto, em 20%, de borracha triturada de pneu já descartado. A massa asfáltica usinada com o CAP FLEX-B se diferencia dos demais revestimentos em vários quesitos. No aspecto funcional, o maior destaque é o aumento significativo da vida útil do pavimento. Como o ligante da massa é elástico por conter borracha, o pavimento apresenta uma flexibilidade maior, capaz de suportar amplas variações de temperaturas e tráfego pesado, sem provocar trincas.


VEJA TAMBÉM